Arquivo da categoria: semeadura e culheita

Sobre as manifestações no Brasil

Como um bom brasileiro que vive na Argentina, uma das primeiras coisas que eu estranhei
morando aqui foi ver a quantidade de protestos que acontecem em BsAs. Não vou dizer que todo dia tem protesto, mas que toda semana rola um com certeza. Ás vezes acontece numa proporção maior e a mídia divulga, mas uma coisa é fato: Os argentinos não são passivos diante da corrupção, já teve presidente (Fernando de la Rúa) que fugiu de helicóptero da casa rosada porque o povo estava fazendo um verdadeiro alvoroço na praça de maio!

Desde que cheguei à Argentina fiquei impressionado em como eles são ligados na política, desde o mais pobre até o mais rico, em várias conversas com porteños comentei que o brasileiro de uma forma geral é muito passivo (agora mordi a língua rsrs), de fato desde o impeachment do Collor não houve nenhuma manifestação significativa em massa, e no decorrer de todos esses anos o circo foi ficando cada vez pior, particularmente penso que a PEC37 (que nada mais era que tentar legalizar a impunidade) é uma das maiores evidências de que o Brasil estava dormindo enquanto o governo fazia “a festa”.

Nesses últimos meses o Brasil acordou, foi pra rua gritar contra a injustiça, contra a impunidade, contra as quadrilhas que estão em Brasília, eu acho isso tudo ótimo! Às vezes aparece um ou outro cristão dizendo que ir pra rua protestar é errado, que devemos nos submeter à autoridade e o melhor que podemos fazer é orar… acredito que a oração é importantíssima assim como o respeito pelas autoridades instituídas por Deus seja em qual âmbito for (familiar, espiritual ou governamental), no entanto a bíblia também mostra o perigo de sermos coniventes com o pecado, fala da importância de sermos luz e sal, e de sermos voz para os oprimidos.

Devemos e podemos usar nossa voz pra orar e clamar pela nação, mas também devemos usar nossa voz pra protestar sim, é um posicionamento contra os absurdos que os governantes do Brasil vêm fazendo, é lamentável ver a mídia vendida noticiando amenidades de ex-BBB enquanto o país está um caos, colocando panos quentes, é triste e revoltante ver um “pronunciamento” evasivo da presidente Dilma,
é uma vergonha ver o descaso dos governantes do Brasil com o povo Brasileiro.

Isso me fez pensar em como é grande o contraste entre a liderança de Jesus e o modelo de autoridade dos governos! Porque a saúde pública no Brasil é um caos? Porque não há investimento em transporte público? Porque a educação é abandonada? Por uma razão muito óbvia e simples: porque os governantes não usam serviço público, ou seja, o foco do trabalho deles é voltado para benefícios próprios e não para o bem daqueles que os elegeram. Particularmente sou 100% a favor dos políticos terem que usar o sistema de saúde público, de ao invés de usar avião das forças armadas para caprichos pessoais terem que pagar e usar o transporte do povão mesmo!

É tão incoerente eles governarem o Brasil e não se submeterem ao resultado do próprio trabalho público! É como um chef de cozinha se gabar dizendo que é o melhor cozinheiro do mundo, mas não gostar de comer a própria comida, é como um motorista afirmar que é competente em sua função, mas não ter coragem de conduzir sua família numa viagem, preferindo então que outro o faça e ficando na passiva posição de passageiro.

O governo apresenta (e manipula) as informações dos supostos “investimentos” que vem sendo feitos no setor público, o qual teoricamente cuidam, mas se escondem na sombra e água fresca das regalias do setor privado, ou seja, governam um Brasil e vivem em outro “Brasil”, desconhecem a verdadeira saga de uma mãe que fica horas (ou dias) na fila de um hospital público pra ver um filho morrer num corredor sujo de um hospital caindo aos pedaços, ou da dura realidade de um pai de família que trabalha em 3 empregos diferentes ralando como um cachorro pra dar o que comer pros filhos, ou do triste fim de vida de idosos que trabalham 10 horas por dia porque a aposentadoria simbólica e escassa que recebem não paga nem os impostos que são obrigados a pagar. É indignante ver o exímio trabalho do governo na hora de averiguar as declarações de imposto de renda, nessa hora eles são profissionais, no momento de administrar a grana geral arrecadada e criar um sistema anticorrupção pra que nenhum político roube, aí intencionalmente nada se faz.

Definitivamente vivem numa bolha de isenção de responsabilidade, autoridades autoritárias que tomam decisões particulares deixando que outros sofram as consequências no coletivo. A corrupção está por todos os lados e em distintos governos e nações, embora a impunidade no Brasil seja em uma dimensão estratosférica, aqui na Argentina isso também acontece, Susana Trimarco, mãe de Marita Verón que o diga, ela teve a infelicidade e o desgosto de ver 3 juízes corruptos absolverem 13 culpados de sequestro para o tráfico sexual infantil de sua filha com bilhões provas concretas e com todas as cores possíveis e imagináveis! E por enquanto ficou nesse absurdo mesmo…

O padrão de liderança e autoridade de Jesus é to-tal-men-te diferente! O culpado não fica por inocente e vice-versa, o trabalho é focado no outro, é pratico e não teórico, é primeiramente exemplar, Ele tem toda moral do mundo pra ensinar cada um a tomar sua cruz, negar a si mesmo e segui-lo porque fez exatamente isso, não falou somente de amor mas provou esse amor!

Não é uma liderança que manda, mas que comanda, ou seja, participa e antes de tudo trilha o mesmo caminho que esta propondo, é um governo coerente, sem manipulação, sem mancha, sem meias verdades e “más interpretações”, é altamente altruísta, visa o bem alheio em vez de o próprio, serve ao invés de ser servido, ajuda em vez de ser ajudado, toma iniciativa! Em vez de impor o respeito, conquista-o com ações práticas, assume mais responsabilidades e menos privilégios, no modelo de liderança de Jesus não há sala ou tratamento “vip”, o que há é serviço e doação em prol dos demais.

Não é possível votar em Jesus pra presidente, senador, governador e etc no âmbito natural, mas tem como ele governar nossa nação começando pela nossa vida e usando ela pra ser voz aos fracos e desprivilegiados! Que Brasil, Argentina e demais nações na terra acordem desse sono espiritual onde a bíblia é vetada, onde o reino de Deus é ignorado, onde Jesus é descartado no coração das pessoas, que Ele possa reinar no coletivo e no pessoal, e que Seu reino possa crescer e se espalhar sobre toda terra!

Metrô nacional from Rodolfo Miró on Vimeo.

Faça a vida valer a pena!

Gostei desse vídeo porque ele rompe com alguns mitos contemporâneos, como a mentira de que o dinheiro deve ser a bússola mais importante para as decisões cruciais da vida.

Todo adolescente ou jovem entra numa etapa (geralmente no vestibular) onde a pressão de decidir o que fazer no futuro se torna angustiante, por várias razões: a começar pela incerteza do que eles mesmos realmente querem, a incerteza do que trará sucesso, a abstração do significado: “ser bem sucedido” e o conceito generalizado e simplista de que ser rico é ser próspero, somado a essa “salada de fruta” ponha a pressão familiar (os pais que a todo custo tentam convencer os filhos a terem a mesma profissão que eles) e a insegurança pessoal, não é uma decisão fácil, mas boa parte dessa carga é aliviada quando entendemos que não é uma decisão permanente, sempre tem um retorno à frente e novas encruzilhadas a cada dia, muitas pessoas voltam a estudar (o que realmente gostam) depois de adultas, às vezes leva tempo para descobrirmos nossa vocação e não há nada de errado nisso!

Quantos pais se desesperam quando escutam os filhos dizendo que querem ser jogador de futebol, músicos, artistas e outras profissões “difíceis”?! E quantos filhos se frustram vivendo a vida que os pais planejam a eles?! São poucos os que de fato acreditam que o dinheiro não é tudo, é quase que uma crença inconsciente de que se o filho deles que sonha em trabalhar no circo (ou outra profissão “errada”) decidir ouvi-los e em vez de se tornar um artista circense for um empresário rico não terá como ser frustrado na vida tendo dinheiro! Isso não é verdade! Poucas coisas frustram tanto uma pessoa ao longo do anos do que gastar seu tempo numa atividade que não lhe dá a menor satisfação, ainda que ela ganhe muito dinheiro com isso, o sentimento constante, crescente e agonizante é de morrer um pouco a cada dia.

Engraçado como sempre que falamos “fulano deu certo na vida” ou “ciclano é bem sucedido” nos referimos a pessoas com muito dinheiro, ninguém fala de um gari bem sucedido ou um palhaço que trabalha no circo como alguém que “deu certo” na vida! Mas a verdade é que tem milionários com uma vida miserável e fracassada, onde todas as riquezas que possuem não livram os filhos das drogas, da prostituição, do medo de ser roubado e sequestrado que os atormenta, da desconfiança e da solidão de pensar que “todos” a sua volta se aproximam com intenções aproveitadoras, é devastador!

Não sou o tipo de cristão legalista que é contra ter dinheiro, é bom ter dinheiro, é muito bom usufruir de uma vida financeira boa, viajar, comer bem e etc… não tem nada de errado em ter dinheiro. Fazer o que amamos e ainda ganhar um salário com isso é maravilhoso, mas o dinheiro não deve ditar nem limitar nosso rumo de vida! O vídeo acima nos pergunta: O que de fato gostaríamos de fazer se não existisse dinheiro? Nossa satisfação de viver “a vida dos sonhos” não pode ser abafada pela “obrigação” social de ter uma profissão financeiramente promissora e vocacionalmente depressiva. Devemos nos perguntar: A vida que vivo HOJE é a vida que sonho e que me faz respirar adrenalina? Ou é a vida que levo porque “tenho” que levar? Outra pergunta além de: “Eu gosto da vida que tenho?” é perguntar a Deus: “Qual vida o Senhor tem preparado pra mim? Qual é a Sua missão de vida pra mim?” Nada mais inteligente do que perguntar ao autor da vida o que Ele planejou! A bíblia nos diz que Deus escreveu todos os nossos dias antes do nosso nascimento, o “roteiro” já esta pronto, não precisamos inventar uma história de vida, mas descobri-la em Deus e vivê-la!

Às vezes nos falta é fé de que Deus quer e vai falar conosco, precisamos crer não só que Ele tem um propósito para nós, mas que tem interesse em nos revelar essa missão de vida! Não temos que supor o que Jesus quer, mas descobrir e seguir na direção que Ele mostrar. Não deixe que o dinheiro seja a voz que guia seus passos, não permita que as circunstâncias te levem a um caminho (Gideão ouviu Deus assim, mas há outros personagens na bíblia que nos inspiram e nos desafiam a ter fé que Deus fala de formas mais claras), e no que Ele falar creia de TODO seu coração, ainda que pareça algo muito doido, não abra mão da convicção que Jesus imprimir dentro de você, sem dúvidas a vida que Ele planejou pra você é a melhor que se pode experimentar.